"Há um tempo em que é preciso abandonar as roupas usadas, que já tem a forma do nosso corpo e esquecer os nossos caminhos, que nos levam sempre aos mesmos lugares.
É tempo de travessia: e, se não ousarmos fazê-la, teremos ficado, para sempre, à margem de nós mesmos."

Fernando Pessoa







Não sou novela..... mas pode me acompanhar.

terça-feira, abril 17, 2007

A dor é inevitável, o sofrimento é opcional!

DEFINITIVO!

Definitivo, como tudo o que é simples.

Nossa dor não advém das coisas vividas, mas das coisas que foram sonhadas e não se cumpriram.
Sofremos por quê? Porque automaticamente esquecemos o que foi desfrutado e passamos a sofrer pelas nossas projeções irrealizadas, por todas as cidades que gostaríamos de ter conhecido ao lado do nosso amor e não conhecemos, por todos os filhos que gostaríamos de ter tido junto e não tivemos,por todos os shows e livros e silêncios que gostaríamos de ter compartilhado, e não compartilhamos.
Por todos os beijos cancelados, pela eternidade
Sofremos não porque nosso trabalho é desgastante e paga pouco,
mas por todas as horas livres que deixamos de ter para ir ao cinema,
para conversar com um amigo, para nadar, para namorar
Sofremos não porque nossa mãe é impaciente conosco,
mas por todos os momentos em que poderíamos estar confidenciando
a ela nossas mais profundas angústias se ela estivesse interessada em nos compreender.
Sofremos não porque nosso time perdeu, mas pela euforia sufocada.
Sofremos não porque envelhecemos, mas porque o futuro está sendo confiscado de nós, impedindo assim que mil aventuras nos aconteçam,
todas aquelas com as quais sonhamos e nunca chegamos a experimentar.
Por que sofremos tanto por amor?
O certo seria a gente não sofrer, apenas agradecer por termos conhecido uma pessoa tão bacana, que gerou em nós um sentimento intenso e que nos fez companhia por um tempo razoável,um tempo feliz.
Como aliviar a dor do que não foi vivido? A resposta é simples como um verso:

Se iludindo menos e vivendo mais!!!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento,perdemos também a felicidade.

A dor é inevitável.
O sofrimento é opcional....

Carlos Drummond Andrade

11 comentários:

Graziana disse...

me caiu como uma luva teu post Lú.
a dor da saudade tem sido inevitável, mas procuro não sofrer, jé que a situação é temporária, em breve, tenho certeza, a distância não existirá mais ;)

bjo!

Rosamaria disse...

Acho lindo este texto do Drumond!
Ele dá uma força pra gente, né?

Aprendi a linkar, Lu, agora vai ser mais fácil vir aqui. Ainda vou ver com calma teus lindos trabalhos de croché no outro blog.

Bjs.

kerufe disse...

Nós desejamo viver algo já rotulado: pra ser feliz vc tem que casar, ter filhos, bom emprego, poder de compra e por aí vai e nos preovcupando em atingir isso que esquecemso que a felicidade está na simplicidade de viver e não ter sucessso

Mohamed A. Ghaffar disse...

hope I will see u in my blog agian

Caroline Vieira disse...

Esse poema traduz, creio eu, o que milhares de pessoas sentem e não encontram palavras suficientes para expressá-las de forma tão natural como Drummond. A dor de amor e saudade que vem do fundo do coração, é a pior dor que podemos sentir pois para essa, somente o tempo é remédio, e ás vezes este custa a passar...Mas o tempo é o melhor amigo para aquele que perdeu seu grande amor...cedo ou tarde, ele lhe provará...

Anônimo disse...

Poxa, que post certeiro, li através da indicação de um amigo que sabia que eu estava precisando ler essas palavras! Parabéns e obrigado pelo belíssimo texto!

Anônimo disse...

Olá.. não conheço você mas encontrei seu texto buscando a frase "A dor é inevitável.. o sofrimento é opcional" no google. Adorei seu texto.. Indentifiquei-me muito com ele.. entendi alguns sentimentos meus.. obrigada.. Abraços

Anônimo disse...

Cara, o drummond nunca escreveu auto ajuda, e não escreve como um autor de auto-ajuda, isso não é dele, não tem a cara dele, não tem uma vírgula do estilo dele.
Um conselho pra todos que lêem isso e acham ser do Drummond, comprem, ou baixem, um livro dele, aí vocês aprenderão a separar poesia de baboseira.

Lu disse...

Sempre tem um mal educado e grosso que faz este tipo de comentário como o do "anônimo" acima. Bem típico de quem não tem nada pra fazer, gosta de especular e bisbilhotar a internet e não tem coragem pra publicar com seu verdadeiro nome. O texto pode até não ser do Drumond, mas não precisava de um idiota destes fazer um tipo de comentário extremamente grosseiro.
Meu amigo "anônimo", seja feliz com suas especulações pela internet.

Fer disse...

Seja lá de quem for o texto, ele é muito pertinente em nossos momentos doloridos, quando tendemos a somatizar tudo e intensificar ainda mais a nossa dor. Quanto ao Drummond, simplesmente o autor do texto encerrou com uma frase do poeta: "A dor é inevitável, o sofrimento opcional"

Anônimo disse...

Só para contribuir com seu blog.

Essa frase é do Buda.

Más o texto não é.

Valeu...